Arquivo do dia: segunda-feira, 9/2/2015

Bestiário (158): Onça imprecisa

Quem vê a onça imprecisa nunca tem muita certeza do que viu. Seus contornos são indefinidos: às vezes parece que acaba aqui, às vezes parece que continua lá. Não é surpresa que poucos caçadores possam se gabar de algum dia ter conseguido acertar uma delas (e os que o fazem, em geral passam por mentirosos).

Em certas ocasiões, a onça imprecisa milagrosamente perde a sua fluidez e surge sólida, insofismável. Mas então, quando a gente chega perto para conferir, descobre que já não é mais onça, é tamanduá, capivara ou até teiú.

A verdade é que da onça imprecisa ninguém escapa se ela não quiser. Por sorte, seus desejos também são inconstantes.