Mitolorgias (1): Arjuna

E se Arjuna, depois do encontro com o mais sutil dos deuses, descesse a montanha convencido a entrar na batalha com sua fúria invencível; e se, armadura nos ombros, lança em punho, o fogo brilhando em seus olhos ao avistar os inimigos, um clarão interrompesse a sua carga por uma fração de segundo que durasse uma vida inteira; e se, durante essa fração de segundo, esse mesmo Arjuna, ciente da superioridade do agir correto sobre a inação, percebesse que naquele momento não era ele quem agia, e sim era a guerra que agia nele, por meio do seu corpo; e se Krishna, afinal, estivesse errado, e ele não fosse um guerreiro; e se o ser guerreiro fosse definido pelas suas ações, e não o contrário; e se deixar-se lutar fosse portanto inação, e o agir correto fosse parar onde estava, deitando ao chão lança e armadura?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s