Biblioteca de Babel (123): Um plano viário

Isso foi na época em que nossa cidade teve um péssimo secretário de Urbanismo. Foi uma gestão em que o trânsito, que já era ruim, ficou completamente inviável. Em parte por causa da confusa sinalização nas ruas.

Poucos perceberam, entretanto, que o péssimo urbanista era um poeta genial. E que havia escrevido um poema formado pelas placas, bastando seguir um determinado trajeto pelas ruas da cidade, lendo-as na ordem correta, para compreendê-lo.

Infelizmente, ninguém jamais conseguiu ler o poema viário, devido aos constantes engarrafamentos.

2 Respostas para “Biblioteca de Babel (123): Um plano viário

  1. Engarrafamento, caracterizado como estresse do cotidiano, infelizmente, não permite que muitos tenham poesia em seu olhar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s