Folhinha (33): O não-dia

O dia 16 de outubro não existe no calendário dos campuches. Entre a meia-noite do dia 15 e a 0h do dia 17, eles não contam o tempo. Aliás, ignoram qualquer coisa que aconteça nesse período.

Crianças que nascem no não-dia são consideradas como nascidas em 17 de outubro (anos atrás, persistia o costume, abandonado após muito esforço, pelo qual esses bebês eram simplesmente abandonados para morrer). Os mortos são tratados como se continuassem vivos. Nada de fato acontece no dia 16.

A tradição campuche explica que esse foi o dia anterior ao surgimento do Universo, quando portanto o tempo ainda não existia. Portanto, é um dia que nunca existiu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s