Bestiário (148): Estúrgia

Quando uma estúrgia pousa no seu ombro, é melhor nem tentar fazer alguma coisa. Porque ela não vai sair dali.

Inicialmente não incomoda muito. Leve, mal se nota a sua presença. A não ser pela reação das outras pessoas. Porque a estúrgia, sempre com seus olhos arregalados, maiores que todo o resto da cabeça e quase tão grandes quanto o corpo inteiro, fita insistentemente quem vem falar com você. De um jeito constrangedor, com um olhar que dá a impressão de que todos os segredos estão sendo revelados.

(Dizem que é impossível mentir para alguém que tem uma estúrgia sobre os ombros. Por isso ela era o símbolo da justiça no país de Algovar.)

Desnecessário acrescentar que, quando se tem uma estúrgia, ninguém quer estar por perto. A solidão aos poucos se torna insuportável, e ainda mais por ser resultado de um abandono premeditado. Não há amor ou amizade que resista.

Quando uma estúrgia pousa no seu ombro, é melhor tentar não fazer nada. Quem sabe ela se entedia e resolve ir para outro lugar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s