Postais do Exílio (117): Tatúpolis

O nome é impróprio, mas ficou. Afinal, quem cavou os túneis, covas e câmaras desse complexo não foram tatus. Foram seus antepassados pré-históricos, os gigantescos gliptodontes e pampatérios. Pelo menos é o que dizem os registros fósseis.

Outros registros, os arqueológicos, provam que ali viveram depois seres humanos de origem desconhecida e destino incerto. Habitaram a cidade subterrânea quando os tatuzões a deixaram, decorando as paredes com sua arte sem correspondente com qualquer outra civilização pré-histórica da região, seja mais antiga ou mais moderna.

Apesar da estrutura formidável, ninguém mais quis ocupar aquelas cavernas. Os gliptodontes foram extintos. Os homens-tatus, aparentemente, também. Melhor não arriscar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s