Postais do Exílio (115): Salão Azul

O Salon Bleu abriu suas portas em Reims, em 9 de agosto de 1945, um dia depois da assinatura do armistício naquela cidade (e em Berlim). Desde então, nunca mais fechou, funcionando 24 horas por dia, todos os dias do ano.

Nunca um baile foi tão festivo quanto o daquela noite de estreia. Por isso, desde então, a orquestra jamais mudou o repertório, tocando apenas os sucessos daquela época: músicas de Glenn Miller, Tommy Dorsey, Benny Goodman, Louis Armstrong.

Há quem diga que o Salão Azul foi destruído por uma bomba deixada por um nazista (ou colaboracionista) recalcitrante, e que todos, músicos e dançarinos, morreram naquela mesma noite de 9 de agosto de 1945, e que sem saber disso permanecem tocando e dançando por toda a eternidade. Questão de ponto de vista. De todo modo explicaria por que o tempo, que afinal não espera por ninguém, ali resolveu parar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s