Postais do Exílio (99): Aeroduto de Munz

Quando a poluição atmosférica na cidade industrial se tornou insuportável, só restou uma solução: injetar ar fresco. O mais puro possível.

O aeroduto foi construído de forma a trazer o frescor das montanhas vizinhas, descendo até o fundo do vale e chegando ao coração de Munz. Imensos ventiladores trabalham ininterruptamente, à potência máxima, para bombear o ar rarefeito.

É claro que os pontos de saída se valorizaram instantaneamente. Condomínios de luxo brotaram nas “bocas azuis”, como foram chamadas as aberturas. No entanto, as paredes do aeroduto foram tomadas por grafiteiros ambientalistas, que as cobriram de protestos contra a elitização do ar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s