Postais do Exílio (79): O Museu do Inatingível

As galerias são corredores estreitos, que permitem passagem para apenas duas pessoas, e com o pé direito incrivelmente alto. Todas as obras estão penduradas nas paredes, a mais de vinte metros do chão. Mesmo olhando para cima, é impossível identificar qualquer coisa além de borrões.

O acervo conta com obras de valor incalculável, como o Rinoceronte de Da Vinci, o Auto-retrato com girassois, de Van Gogh, e a série de gravuras de Picasso sobre Hiroshima. Todas expostas de forma que ninguém seja capaz de vê-las.

Mesmo assim, as filas são sempre extensas. Quem visita o museu quer poder dizer que esteve lá, sob o mesmo teto que a Torera andaluza de Goya.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s