Bestiário (86): Merineu

O canto do merineu, assim como os flocos de neve e os padrões de manchas das orquídeas-anãs, nunca se repete.

Mesmo assim, observadores atentos (e com um ouvido relativamente treinado) conseguem apontar certos padrões. Cada merineu tem a sua afinação específica, e seu compasso invariável. As fêmeas selecionam os parceiros para o acasalamento conforme seus próprios padrões harmonizem-se ou não com os dos machos que as cortejam.

(Dizem que o compositor Sibelius tinha um viveiro com um casal de merineus, e do seu canto tirou boa parte da sua Valsa Triste e da suíte Karelia.)

Anúncios

Uma resposta para “Bestiário (86): Merineu

  1. Pingback: Gugleiros (86) « Almanaque

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s