Fricção científica (6): PQP!

O psicólogo Richard Stephens, da Universidade de Keele, descobriu que xingar diminui a sensação de dor. Ou melhor, comprovou o que já se sabia. Os 64 voluntários que participaram da experiência mergulharam suas mãos em água gelada. Orientados a gritar palavrões, eles suportaram a dor por um tempo superior ao aguentado gritando palavras mais neutras.

Stephens acredita que os palavrões, que existem em qualquer língua, exercem um papel primordial, ativando funções cerebrais que mascaram a dor. O que nos leva a formular duas hipóteses:

1 – O aumento da permissividade, com maior tolerância a palavras que antes eram tabus, diminui o poder analgésico do xingamento e portanto cria mal-estar social;
2 – Outras ocasiões que levam as pessoas a gritar palavrões (como gols perdidos e quedas na conexão) provavelmente são também experiências de dor.

Anúncios

Uma resposta para “Fricção científica (6): PQP!

  1. Essa nem precisava de pesquisa, né?

    Nada como um bom palavreado na hora da topada na pedra. Mas agora, com fundamento científico. Oba.

    R. É pra isso que serve a ciência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s