Criptoetimologia (16): Moleskine

Já houve protestos de associações de defesas dos animais contra a fabricação dos cadernos Moleskine, pela suposição errada de que eram feitos de mole skin (pele de toupeira, em inglês). Não são: nem de couro e nem de moleskin, nome de um tecido rústico e resistente, de algodão.

O primeiro Moleskine, na verdade, deve o nome a seu criador, o artesão Andrea Moleschini (1832-1903). Seus cadernos feitos à mão eram os preferidos de escritores como Alfred Jarry e Max Jacob, além de receberem rascunhos de Henri Rivière. Camille Saint-Saëns não chegou a compor num caderno de Moleschini, mas usou diversos deles como diários.

Com a morte do artesão italiano, a produção dos cadernos também se extinguiu. Só décadas mais tarde o nome seria adaptado pela companhia italiana que hoje manufatura os moleskines.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s