C.Q.D.

Na sexta-feira, a Alessandra escreveu um texto para o Meio Bit Games sobre o problema do racismo em videogames. E foi surpreendida não só pelo volume dos comentários, mas principalmente pela violência das respostas — algumas descambando para a grosseria pura e simples.

Alguns dias antes, um artigo de Eugenio Bucci no Observatório da Imprensa, A empregada branca e a intolerância tolerada, provocou o mesmo tipo de reação.

Só mesmo esses capitães-do-mato do século XXI (?) não percebem que, quanto mais eles xingam e esperneiam, mais confirmam o que tanto querem negar: que o racismo no Brasil é real, forte e destrutivo.

Anúncios

Uma resposta para “C.Q.D.

  1. Destrutivo. Isso.

    R. Né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s