Bestiário (39): Cabras de Gibson

Cães, gatos, coelhos, cavalos e vários outros animais domésticos levados pelos europeus para a Austrália desbundaram com aquela imensidão de terras e largaram pata da vida de fazenda, procurando uma volta à vida selvagem e desenvolvendo variedades ferais de suas espécies. Mas nenhum caso foi tão notável quanto o das cabras de Gibson.

Acostumadas demais com os seres humanos, foram as cabras os animais que mais relutaram em abandonar a civilização. Tanto que acabaram criando a sua própria.

Seminômades, acampadas em torno dos oásis do Deserto de Gibson, cujo nome adotaram, elas acreditam que são humanas. Comerciam com brancos e aborígenes, achando muita graça daquelas raças que não gozam da sua exuberância capilar e precisam comprar seu excedente de lã.

Há poucas informações sobre a sua organização social. Mas um cabrito de Gibson que esteve uma vez num bar de Laverton e bebeu muito mais do que se esperaria de um dos seus garantiu que a sociedade caprina é tão perfeita que, se adotada em escala global, garantiria a paz no mundo. Conversa de bêbado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s