Postais do Exílio (83): Fontana degli Peccati

Na verdade, são sete fontes, cada uma representada por uma criatura de feições demoníacas. Assim, a Ira é representada por um touro que expele a água pelo falo; a água da Inveja sai pelos olhos de um hieronte; a da Vaidade, pelos ouvidos de um leão; a da Avareza, pelo ânus do que parece ser um rato; a da Gula, pela boca de um porco;  a da Preguiça, pelas narinas de um gato;  e a da Luxúria, pela vulva de uma serpente. As sete estão dispostas em círculo, em torno da figura de Satã, no centro de um pequeno lago que recebe o seu jorro incessante e vicioso.

Esculpida por volta do ano 1320 e localizada à esquerda da Igreja dos Santos Anjos, sua má influência era contrabalançada pela Fonte das Virtudes, do lado oposto. Esta, contudo, foi destruída por um bombardeio durante a II Guerra Mundial.

Mesmo assim, beber da fonte, dizem os padres, não é algo necessariamente maléfico. Cada um dos pecados anula ou inibe o precedente na ordem em que estão esculpidos, tornando a mistura inócua espiritualmente. O perigo seria beber diretamente de cada um dos animais. Por isso mesmo uma grade foi erguida em torno das esculturas, de forma a inibir a tentação.

Ainda assim, muitos são os que fazem questão de se saciar de pecados específicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s