Arquivo do dia: sábado, 20/6/2009

Bestiário (67): Águia cega

A expressão “olhos de águia” não se aplica a esta variedade. Pelo contrário. Embora possa enxergar, o que contradiz em parte o seu nome, sofre de um alto grau de miopia.

Isso cria uma dificuldade evidente para uma ave de rapina, superada apenas pelo olfato superdesenvolvido. Tão forte que lhe permite distinguir uma presa no solo e calcular sua velocidade mesmo voando tão alto quanto suas parentes de visão aguçada.

Águias cegas preferem caçar animais pequenos, dos que se engolem de uma só vez. Quando a presa é maior, arrancam um naco de carne e deixam o resto para os carniceiros. O odor de putrefação da carne recém-abatida é forte demais para seu olfato sensível.