Postais do Exílio (36): O Mercado de Manamotamo

Especiarias, tecidos, jóias, alucinógenos, cornucópias, animais em extinção (vivos, empalhados ou em cortes nobres), corzumas, jornais do futuro, rapazes, moças, cogumelos, um país inteiro, relíquias de santos, amuletos, dentaduras, habeas corpi, figos colhidos da figueira sob cuja sombra Buda chorou, ratoeiras, esperanças, máquinas de descalçar chinelos, moedas antigas, piolhos amestrados, venenos e seus antídotos. Eu desisti de tentar imaginar alguma coisa que não esteja exposta no Mercado de Manamotamo.

A única coisa que você nunca vai encontrar por lá é alguém comprando ou vendendo mercadorias. Porque isso é proibido pelos milenares estatutos do lugar.

Quem quiser fazer negócios, que os faça da porta para fora. O Mercado de Manamotamo existe apenas para se ver, tocar, cheirar, provar. E desejar.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s