Arquivo do mês: janeiro 2008

Jam (6): Isenção fiscal e o melhor do carnaval

(G.R.E.S Acadêmicos do Largo do Machado)

Brasil, oh meu Brasil
Eu também estou na área
Pra mostrar na passarela tão gentil
Essa tal de reforma tributária

Ninguém sabe o que será
Se é boa ou se é má
Mas todos dizem que é muito necessária

Lá no Egito
O faraó inventou de tributar
Provocou o maior agito
O imposto era infinito
E o povo não podia mais pagar

Em Minas, Tiradentes
Junto com os Inconfidentes
Enfrentou a tirania
Hoje aqui na Zona Sul
Eu boicoto o IPTU
Que não dá cidadania

Paguei CPMF, PIS e Cofins pro Leão
Só meu samba é isento dessa tributação
Paguei CPMF, PIS e Cofins pro Leão
Só meu samba é isento dessa tributação

Bestiário (38): Magaru

O mais acertado é falar do ovo de magaru e não do animal em si, porque ninguém jamais viu um deles sequer. Só os seus ovos — redondos, de cores variadas, brilhantes, com pintas, raias, manchas.

Muitos acreditam que o magaru conseguiu dar um jeito de se reproduzir sem sair do ovo, mas não se sabe muito bem como isso seria possível. Só é certo que os ovos encontrados na natureza e coletados nunca eclodem, mas quando você menos espera aparece outro no meio deles.

Gugleiros (20)

As melhores buscas da semana entre os visitantes do Almanaque:

Segunda, 21/1 - catalago telefonico universal
Se você me explicar para que servem lagos telefônicos, eu ensino como catar um.

Terça, 22/1 - tiger wings
Isso é procurar chifre em cabeça de cavalo.

Quarta, 23/1 - lista telefonica encontrar numeros
Eles ficam na coluna da direita, normalmente.

Quinta, 24/1 - a mulher e o poder de tigre
É música da Rosana?

Sexta, 25/1 - yashin vestiu a camisa no flamengo
Foi em 1964, mas ele era banco do Marco Aurélio.

Biblioteca de Babel (17): Kaito Hamawaki

Hamawaki San não é uma pessoa. É um livro. Ou melhor, um mangá.

Ele mesmo escreveu e desenhou a história de sua vida, que um tatuador profissional reproduziu na sua pele. A cada evento importante, acrescentava quadros, que aos pucos foram ocupando todo o seu corpo. Ao chegar à conclusão de que a obra estava encerrada, desenhou o último quadro num estêncil e matou-se bebendo uma dose de tinta vermelha à base de sulfeto de mercúrio.

Seu testamento continha instruções explícitas para que o capítulo final fosse tatuado na sola de seu pé esquerdo, e que sua pele fosse conservada para a posteridade.

Dramatis Personæ (47): Ted Tromba

Grande astro de filmes ponô nos anos 90, converteu-se e decidiu abandonar a longa carreira. Mas descobriu que seu contrato extremamente rígido com a produtora exigia mais nove filmes. Depois de duras negociações, chegaram a um acordo. Cumpriu os termos. Mas em todas as produções seu personagem também se convertia no fim e fazia uma pregação, lendo o versículo 33. Qualquer versículo 33.

Foi um sucesso ainda maior que o de seus filmes anteriores. Tanto que renovou o contratro e decidiu continuar a série. Para difundir a religião, garante.

Mudança

Poderia ser um item da série Dramatis Personæ: Barnabé. Mas é um raro post pessoal neste blog. Só porque eu sinto necessidade de dizer que abandonar uma carreira de mais de quinze anos para me tornar um iniciante é algo que, apesar de cercado de uma série de garantias, me deixa muito assustado.

Bestiário (37): Oiagapap

De todas as aves que imitam a voz humana, é a mais impressionante. Porque imita ao contrário.

Se você tentar ensinar um oiagapap a falar, por exemplo, “biscoito”, ele dirá “otiocsib”. Se insistir com “currupaco”, ele retornará “ocapurruc”.

Quando um oiagapap é exposto a palíndromos com muita freqüência, geralmente enlouquece e se mata.

Em 1877, foi encontrado nas matas da Guiana um oiagapap que não invertia as palavras. No entanto, ele as previa, e repetia as coisas que ainda iam ser ditas. Sir Habacuc Naughtley quis levá-lo à rainha Vitória, mas foi preso e acusado de alta traição por pretender que uma ave pudesse reinar no lugar da soberana.