Arquivo do dia: quarta-feira, 19/9/2007

Biblioteca de Babel (12): Picasso, o caolho

Não: apesar do que sugere o título, e mais ainda o subtítulo “Uma biografia imaginária”, não se trata de uma dessas tentativas de contar histórias de ficção usando pessoas reais como personagens. Ibrahim Acosta, o maior conhecedor vivo da obra de Picasso, escreveu de fato a biografia definitiva do mestre cubista. Ou melhor, do que ele teria sido se naquela tarde de 13 de novembro de 1890 o pequeno Pablo não tivesse escapado ileso da arena onde caiu, na Plaza de Toros de Málaga, e o miúra houvesse acertado seu olho esquerdo, que, sabemos, escapou da chifrada por milímetros.

Acosta esbanja o conhecimento não só de cada detalhe da vida de Picasso mas também da sua psique. E revela como um Picasso caolho teria crescido, criado e amado.

Em alguns capítulos, o autor faz o leitor quase desejar que tivesse sido assim. Que tivéssemos conhecido o Cubismo pela perspectiva de um homem sem visão de profundidade.

“O horror de ‘Guernica’ é, enfim, o horror de alguém que vê o mundo se despedaçando”, escreve Acosta. Mas a “Guernica” do seu universo paralelo é duas vezes mais terrível, porque nela é “o pintor que se despedaça dentro do mundo”.